skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
18 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Sempre atento à liderança, Xico quer pelo menos “top 6” na Divisão de Honra

Tiago Mendes Dias
Desporto \ sexta-feira, setembro 15, 2023
© Direitos reservados
Em 2023/24, segundo escalão é uma prova nacional do princípio ao fim. De olhos no topo, vimaranenses confiam na experiência da 1.ª Divisão para lidarem com viagens longas e adversários competitivos.

Embora inscrito no segundo escalão do andebol português, o Xico Andebol vai participar num campeonato diferente pela terceira época consecutiva. Depois da passagem pelo Campeonato Nacional 1 na época 2022/23 e do regresso à 2.ª Divisão na temporada anterior, com o segundo lugar na Zona 1, somente atrás do Vitória SC, o clube escolar garantiu o acesso à recém-formada Divisão de Honra, um campeonato com 12 equipas de Portugal Continental e ilhas, cuja primeira fase se disputa entre 16 de setembro e 23 de março de 2024, num formato de todos contra todos.

Alerta para a competitividade do novo formato, Pedro Correia vinca, de antemão, que os vimaranenses ambicionam um lugar entre as seis melhores equipas na primeira fase para disputar a subida na fase final. “O nosso objetivo prioritário é ficar nos seis primeiros lugares para ter acesso à fase final. Na fase final, vamos lutar pela melhor classificação possível, o primeiro ou o segundo lugar”, diz o treinador, à partida para a sétima temporada seguida ao leme do Xico.

É, contudo, difícil prever qual a classificação do Xico num campeonato com muitos candidatos, como o primeiro adversário do campeonato, o Dom Fuas da Nazaré, clube que “investiu imenso para subir de divisão”. “Depois há os candidatos crónicos: o Ginásio de Santo Tirso, o São Bernardo, o Boa Hora, o Sporting da Horta. Têm tradição e vão fazer de tudo para subir de divisão”, acrescenta o técnico de 39 anos.

Qualquer que seja a divisão onde o Xico compete, a liderança é sempre o objetivo, frisa o presidente do clube. Mauro Fernandes lembra, contudo, que a busca por essa liderança terá, na época 2023/24, “um custo, um preço e um percurso longo, muito baseado em viagens, com desgaste para os próprios atletas”, embora a experiência de há dois anos na 1.ª Divisão possa ajudar nesse sentido. “Os voos são complicados. Há uma série de coisas que temos de preparar, mas a 1.ª Divisão deu-nos esse traquejo. Temos técnicos e atletas que já passaram pela 1.ª Divisão. Vamos reavivar essa metodologia”, promete o dirigente, ressalvando o papel do recém-criado diretor técnico no acompanhamento das equipas seniores. Eduardo Rodrigues ocupa esse cargo.

O Xico Andebol lançou, aliás, uma campanha de angariação de fundos para as viagens à Madeira, para os duelos com o Sporting da Horta, em 02 de dezembro, para a 12.ª jornada, e com o Académico do Funchal, em 10 de fevereiro de 2024, para a 17.ª jornada. O clube espera angariar 30 mil euros brutos – o que lhe garante 10 mil euros líquidos -, num momento em que as fontes de financiamento são “cruciais” para garantir a futura autonomia do clube e em que espera a requalificação do pavilhão, que o transforme num equipamento capaz de gerar mais-valias.

Agradado com um plantel que mantém a base de épocas passadas – Tiago Martins chega do Marítimo, João Pires do São Pedro do Sul, Raphael Cancino é emprestado pelo Vitória e José Araújo regressa ao Xico após uma época nos sub-20 do Vitória -, Mauro Fernandes diz que os novos jogadores têm “o perfil de atleta do Xico”.

O treinador Pedro Correia também está agradado com o perfil dos novos jogadores, “escolhidos a dedo”, enquanto o capitão de equipa vê o Xico como uma equipa jovem, mas “bastante competitiva”, que promete batalhar num campeonato com “mais dificuldade” face a 2022/23. De regresso ao clube da formação após uma época nos sub-20 do Vitória, José Araújo promete lutar pelos melhores resultados possíveis.

 

PLANTEL CD XICO ANDEBOL

Guarda-redes: José Martins, Fábio Macedo e Luís Costa;

Centrais: Alex Tchikoulaev, Paulo Guise, Alfredo Araújo (ex-Póvoa AC), João Pires (ex-Académica de São Pedro do Sul), José Araújo (ex-Vitória SC) e Tiago Martins (ex-Marítimo);

Laterais: Paulo Abreu, António Salgado, Duarte Sousa e Diogo Teixeira;

Pontas: João Nuno, Alexandre Roque, Bernardo Torres e Renato Araújo (ex-Vitória SC);

Pivôs: André Silva, Diogo Silva, Rafael Martins e Raphael Cancino (ex-Vitória SC)

 

EQUIPA TÉCNICA

Treinador: Pedro Correia

Treinadores adjuntos: Gustavo Castro, Pedro Teixeira (team manager) e Tiago Castro (fisioterapeuta)

 

“A Divisão de Honra é mais competitiva, é nacional”

Mauro Fernandes, presidente do Xico Andebol

“A 2.ª Divisão é regional, os atletas viajam muito menos, jogam mais perto e, depois de apurados, jogam uma fase nacional. Aqui começa por ser uma fase nacional. A Divisão de Honra é mais competitiva, é nacional. É diferente”

 

“Ter uma base montada há muito tempo ajuda muito”

Pedro Correia, treinador do Xico Andebol

“Trouxemos os jogadores que entendemos precisar no plantel. Integrados devidamente, vão fazer a diferença e ajudar-nos muito no processo. Ter uma base montada há muito tempo ajuda muito no processo de treino, porque já partimos um bocado à frente”

 

“Esforço e empenho têm de ser absolutos”

Alexandre Roque, ponta-esquerda e capitão

“A partir do momento em que se entra neste pavilhão, o esforço e o empenho têm de ser absolutos no treino e no jogo. Temos de nos dar como equipa. É assim que enfrentamos os adversários para levar sempre a melhor”

 

“Estamos aqui para lutar pelos lugares cimeiros”

José Araújo, central e reforço (ex-Vitória SC)

“Vamos lutar muito para termos os melhores resultados possíveis. Estamos aqui para lutar pelos lugares cimeiros e para honrar todas as pessoas que passaram por cá antes de nós”

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73